Amor/Sentimento Experimentos Literários Textos

Aceito até o seu não me querer

08/04/2016

Eu te amo, eu te odeio, eu te quero, me deixe! Tudo numa frase só, enclausurado nessa garrafa térmica de pele que segura o que tenho por dentro.  Por que eu te quis tantas vezes e tantas vezes quis não te querer? Eu soube te querer tanto e você nem soube o quanto eu te quis. Será que você me queria esse tanto? Ou será que você só queria me usar? E você usou. E abusou da minha confiança, do meu amor, do meu ódio. Você violou minhas faces e me deixou caretas e sorrisos lanhados nas unhas…

Eu soube tudo de você. E, ao te saber, você soube o quanto eu te queria mais, o quanto eu precisava que você existisse, o quanto a minha felicidade dependia desse seu jeito cínico de mentir como quem diz a verdade. Será que agora você sabe o que quer? Será que agora você descobriu que me quer? Eu te procurei tantas vezes, eu quis voltar… E você foi só porta batida, só lágrima rasgando a garganta. Então,  descobriu se eu sou a pessoa da sua vida? Descobriu se sabe viver sem mim? Eu, que tantas vezes deixei de respirar pra que te sobrasse o ar, só tive suas sobras. Será que nas noites ao meu lado, nas luzes apagadas, você me traía? E agora? Agora você diz que me ama, mas só diz. E de que vale dizer o que não precisa ser dito?! Eu te amo, eu te odeio, só palavras. Coisas jogadas fora pela boca dos que gostam mais de falar do que de ouvir… Mas eu te ouvi. Eu escutei cada sílaba sua, eu te sei. Eu sei o que você foi, o que você é. Eu sei tanto de você que soube te acobertar de suas próprias verdades, do seu próprio você. Ah, se você soubesse que vale tão pouco. E que vale tão muito porque seu valor pra mim é tudo o que as fortunas desejam…

Eu te desejo assim… no além do mais… no depois do depois de tudo. Então, diga de uma vez que me amará! Que precisa de mim pra poder voltar a comer com o estômago livre daquela sensação de náusea tão comum aos abandonados. Ou, se preferir, não me diga nada e volte! Entre-me! Sou tão cúmplice seu que aceito até o seu não me querer!

Eu fui e sou abandonado por você. Eu fui o que te deixou ir e o que te aceitará de volta… Quando quiser, meu retorno está desobstruído. Tome-o e me faça quebrar mais uma vez a cara nesse seu amor que não sabe me amar. No fim das contas, eu só conto com o que estou a fim. E eu estou a fim de você… até quando você não está a fim de mim.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply