Poemas Textos

Queda-livre

14/09/2016

        Pular e se jogar sem medo, porque o inimigo está no espelho; porque se enfrentar é a grande guerra; porque a melhor arma é se amar.

       Pular e se jogar sem medo, porque o temor está no que está dentro; porque o medo é a falha da estratégia; porque o se vencer é avançar.

       Pular e se jogar sem medo, porque o melhor exército se esconde no que somos; porque o vencedor é o que se vence; porque o se atirar é ultrapassar.

        Pular e se jogar sem medo, porque a saída é o seu caminho; porque a liberdade é o próprio encontro; porque a luz brilha no se olhar.

        Pular e se jogar sem medo, porque o ar venta no otimismo; porque a vitória brota no suar; porque desistir é desabar.

        Pular e se jogar sem medo, porque o desafio é o recomeço; porque a palavra é a voz que fala; porque o alcance é o tentar.

       Pular e se jogar sem medo, porque o que vive sai da boca, porque há mais sonhos do que muros, porque o limite é o limitar.

       Pular e se jogar sem medo, porque corromper-se é perder-se; porque dobrar-se é render-se; porque há convicções no que virá.

       Pular e se jogar sem medo, porque duvidar não traz resposta; porque a fé no salto é o que falta; porque acreditar é desamarrar.

       Pular e se jogar sem medo, porque há um viver à sua maneira; porque possível é o invisível; porque o chegar é o lutar.

      Pular e se jogar sem medo, porque o alívio chora nos olhos; porque o fim você decide; porque a sorte se joga nos dados que se sorteiam ao se jogar.

       Pular e se jogar sem medo, porque os desejos são contínuos; porque os intentos não são poucos; porque desistir é se atar.

       Pular e se jogar sem medo, porque o passo em falso é a ponte, porque o real não é o que aparece; porque a alma se solta no saltar.

       Pular e se jogar sem medo, porque a razão é metafísica; porque a crítica é sem asas; porque o vôo é o voar.

       Pular e se jogar sem medo, porque a consequência é o que desimporta; porque a barreira é o que despenca, porque no tempo há o seu lugar.

       Pular e se jogar sem medo, porque as dores não são suficientes, porque a derrota é o incabível; porque a opção é confiar.

      Pular e se jogar sem medo, porque a vida é a queda-livre do instante; porque a rede nunca existe; porque se jogar é alcançar.

       Pular e se jogar sem medo…

       Do medo que virá.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply