Experimentos Literários Felicidade/Espiritualidade Textos

Clarice me abençoa

03/12/2016

        Ser escritora e ler Clarice Lispector é, ao mesmo tempo, frustrante e abençoado. Frustrante porque é a hora em que me deparo com a pequenez de minha sensibilidade diante da vida. Abençoado porque é quando eu percebo que o mundo é tão gigante que tem cores que meus olhos ainda poderão pescar.

            Ler Clarice é perceber que há um mundo submerso no explícito. É saber que ainda tenho muita coisa para aprender a ver. Longe de ser como ela, o mundo ainda se mostra duro sob meus pés, duro o bastante para que eu possa pegá-lo com a alma das mãos.

              Para mim, ler Clarice é ter vontade de me agigantar, de aprender a microscopia das coisas macroscópicas da rotina. Ler Clarice é humildificar-se, cair-se encharcado no chão das lágrimas por saber que ainda há tantos caminhos para os pés quanto sensibilidades. Ler Clarice me abençoa, me faz ter vontade de não morrer por saber que ainda não sei achar os buracos das fechaduras que se escondem pelo concreto do mundo à minha volta. É nessas horas de leitura que tudo parece valer a pena, que o mundo se imensifica e que a vida pisca com olhos livres de cataratas. Nessas horas claras, o mundo se abre e a vontade que tenho é de fazer que nem Édipo, de arrancar os olhos para ver se consigo enxergar o que é feito para se sentir.

            É nas horas claricianas que todas as coisas deixam de fazer sentido e eu consigo entender que é preciso ficar fora do sonho para se imaginar melhor; que é ficando fora do sonho, submerso em realidade, que se sonha melhor.

            Viver é um absurdo, uma absurdidade do tamanho do Sem-fim. É por isso que a vida tem que terminar um dia. Para que um dia a gente possa entender um dia. Um dia… Um só dia já valeria para explicar toda uma eternidade. Pena que a gente só descobre isso quando já não tem mais nenhum dia para ter…

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Claudisa Doriana Silveira 04/12/2016 at 15:44

    Ler Clarisse eh uma descoberta incompreensível para quase todos, até mesmo para nós. Ela faz de nossa indiferença, de nosso desecantamento, algo grandioso. Por isso, nos encanta.

    • Reply @domingas_admin 09/12/2016 at 19:43

      Exatamente, Claudisa. Ler Clarice é sempre uma descoberta de algo que estava perdido dentro e fora de nós.

      Abço e obrigada pelo comentário!

    • Reply @domingas_admin 20/05/2017 at 17:01

      Verdade… Clarice é iluminação.

    Leave a Reply